quinta-feira, Janeiro 28, 2010

Livros de lavores


Aos poucos vai crescendo...
No último fim-de-semana juntaram-se mais dois livros ao "Singer sewing book" que já tinha comprado há algum tempo. Não que seja uma colecção muito a sério, uma vez que não procuro incessantemente, nem compro tudo o que vejo, mas se me vêm parar às mãos e me interessam, não os deixo escapar!
Gosto de ver as imagens e nalguns casos não deixo de ler a explicação, mas não consigo aprender nada desta forma (ou não me concentro o suficiente para ter resultados).
A verdade é que para mim, nada substitui a explicação "ao vivo", isto apesar de ter aprendido a coser à máquina a ler o manual e a errar muuuitas vezes, mas neste caso não havia nada a fazer, não tinha ninguém perto para me ensinar e eu queria mesmo aprender!

quarta-feira, Janeiro 27, 2010

Meia sem par = boneco


De uma meia sem par, coisa que acontece muito por cá, nasceu um boneco.
O sr. meia, o boneco que fiz com a minha filha, para testar se seria cedo demais para manusear a agulha. Correu muito bem, mas é claro que tive que dar uma ajuda com os pontos mais fortes necessários para definir barços e pernas.
Os olhos e boca foram feitos sem ajuda e encheu-me de alegria ver que era capaz!
Outras experiências com meias,estas de um atelier que costumo orientar.

terça-feira, Janeiro 26, 2010

Tecidos de Verão


Enquanto o Verão não chega, envolvo-me de cores alegres e aqueço...

sexta-feira, Janeiro 22, 2010

A saia do Capuchinho Vermelho

"E lá foi o Capuchinho Vermelho, toc, toc, toc, toc, pelo caminho da floresta."


Não podia deixar de ser, a história do Capuchinho Vermelho (que também está no livro que já aqui mencionei), contada pelo Sr. Francisco Correia de 79 anos, cuja versão tem pormenores que ainda vou repescar...


A saia é feita de duas fazendas distintas, a vermelha 80% lã 20% polyester, a azul tem composição diversa. Forro em polyester.

terça-feira, Janeiro 19, 2010

O João e o Rei

"O rapaz foi matar o cavalo e puseram o sangue a ferver no caldeirão(...) O Rei foi-se lá meter, mas morreu, morreu lá queimado. E a princesa disse:
- Anda cá João que tu é que és meu! E ficou com o João."

Desde que trabalhei o conto tradicional russo "A rã princesa", tenho vindo a ler e a interessar-me com mais intensidade pela tradição popular e pelas rimas e histórias que são perpetuadas através da oralidade.

O João e o Rei, aqui ilustrado, é um conto que faz parte de uma recolha compilada por Rui Arimateia, no livro "Antologia de Contos Populares - Évora, Idanha-a-Nova e Mértola", comprei-o na última Feira Laica, na Fábrica Braço de Prata, e desde então tenho recorrido a ele como suporte para as ilustrações.

Nas palavras de Rui Arimateia: "Os contos tradicionais, com a sua sabedoria milenar, poderão ajudar-nos a abrir as portas para o assumir de comportamentos sociais e culturais qualitativamente diferentes." É esta diferença que gosto de assinalar, a que se distingue pela qualidade e autenticidade, a criação de uma linguagem própria que só é possível se formos verdadeiros.

Celebro desta forma a nossa tradição, sem a petrificar no tempo e visto-a com um novo olhar.

segunda-feira, Janeiro 18, 2010

Em Fevereiro


Em Fevereiro...
Nova colecção de "Saias com história"
Volto a Vila do Conde para workshop de costura criativa na loja Design com texto.

quinta-feira, Janeiro 14, 2010

Quem conta um conto...


Está em fase de acabamentos esta mala com ilustrações criadas a partir de um conto tradicional português. Esta é a imagem da parte da frente.
Mais para breve...

quarta-feira, Janeiro 13, 2010

Ainda de Dezembro

Continuação das fotos publicadas

Algumas crianças também quiseram participar no baile real e sem inibição juntaram-se à festa.

A princesa, o príncipe e o rei. Lá atrás, um pequeno príncipe ouve com atenção.

O avental é um acessório que suporta a narração do conto e simultaneamente serve de cenário.

A princesa veste a sua pele de rã...

terça-feira, Janeiro 12, 2010

Coração


Esta bolsinha está disponível.

segunda-feira, Janeiro 11, 2010

Quase perseguição...


Os cães, os gatos, a natureza, moram sempre dentro de mim, embora ultimamente me sinta contagiada pelo universo dos contos populares e pelas surpresas e metamorfoses que vou descobrindo a cada nova leitura. Em breve espero ilustrar alguns destes personagens, a par de novas saias, santos e burricadas. A ver vamos...

Bolsa de tecido(algodão e polyester)com fecho de 20cm, forrada com tecido de algodão e estofada com dracalon. Aplicações em tecidos de algodão diversos,feltro e pormenores pintados em tinta para tecido.
A coleira do cão é em cordão de croché feito à mão.

sexta-feira, Janeiro 08, 2010

Yellow tulips


Outra bolsinha que ficou terminada.

quinta-feira, Janeiro 07, 2010

Em Dezembro foi assim...


A "Rã princesa", conto tradicional russo, foi apresentado ao público pela actriz Rita Sales (Teatro do Elefante), com bonecos e acessórios feitos por mim. Concebi plasticamente toda a história e criei personagens que se articulam com outras peças que funcionam como objectos/cenário. Depois deste processo criativo inicial, trabalhei com a Rita a melhor forma de sequenciar as peças e mostrá-las em acção.

Apesar de não termos pensado a apresentação do conto para a rua, foi muito gratificante observar a reacção do público e o impacto que as peças causavam de cada vez que surgiam.
(Só um sorriso destes vale todas as pestanas gastas!)

Existe uma permanente surpresa, quer pelos acontecimentos que são narrados, quer pela sucessiva aparição de novas peças que ajudam a ilustrar a história, e nem as crianças nem os adultos ficaram indiferentes a isto.

Para mim foi muito bom estar no meio do público e poder anonimamente ouvir os comentários, foi o teste final de uma aventura que durou meses.
Agora os bonecos ganham vida e vão à aventura...
Se quiserem ouvir esta história, o Teatro do elefante está a promovê-la para escolas, bibliotecas ou outras salas do país, contactem-nos.

quarta-feira, Janeiro 06, 2010

Feliz 2010!!!


De volta ao trabalho, depois de umas merecidas férias!

Espero que o Pai Natal vos tenha presenteado com a surpresa que mais desejavam e que 2010 vos traga muita felicidade!

Outra versão da capuchinho vermelho, que em breve fará companhia a mais personagens de histórias transmitidas ao longo dos tempos pela tradição oral.
Este capuchinho, na versão bolsa com fecho de 20cm, foi terminado ontem e ainda está disponível.