domingo, Agosto 07, 2005

Extinção

alcofas
Hoje fui à Feira de Santiago, em Setúbal. Vim para casa carregada de alcofas (que comprei, não trouxe à consignação!) e com alguma tristeza, por ter percebido que o fabrico destes objectos está à beira da extinção. Na conversa que tive com a vendedora, soube que noutros tempos trabalhavam para ela trinta e oito mulheres, hoje em dia, trabalham apenas quatro. Soube também que são mulheres na casa dos setenta que fazem estas alcofas, e que quando morrerem não existirão continuadores... Este discurso não me é estranho, porque há poucas semanas estive em Gonçalo, perto da Guarda, a terra dos cesteiros (de verga e vime), e o mote foi o mesmo, dantes eram 400, e vendiam, hoje são 10 e não vendem, para além disso, também não há continuadores desta actividade.

É pena... Estou de facto interessada em trabalhar sobre estes objectos, os que fazem parte da nossa tradição, que são realmente artesanais, e que se hoje em dia, não têm as funções que tiveram, podem ser reinventados.

Será que estou a trabalhar sobre as últimas alcofas tradicionais, ou será que o facto de as "vestir" poderá contribuir para que não desapareçam?

8 comentários:

Rosa disse...

Sem dúvida que estás a contribuir para que não desapareçam. No ano passado tive vontade de ir morar para Viana do Castelo, para ir ser aprendiz da senhora que faz estas sacas. Também ela não tem seguidoras...

pormagia disse...

Acredito que esta nova vaga de "artesanato contemporâneo", vá contribuir para a continuidade dos produtos tradicionais,isto por estarem a ser reinventados, adaptados à nossa realidade. Por isso acredito, que vás ser uma das responsáveis por essas cestas magnifícas não desaparecerem...
Beijinhos
Catarina

morgy disse...

Espero bem que consigas fazer com que não desapareçam!

pozinhos... disse...

Acho que assim "vestidas" têm tudo para não se extinguir.
É pena não existirem incentivos para que não se deixem morrer esta e outras artes :(
Força !

Manas disse...

olá Dina! Eu sou de setubal e desde que de lembro de ir a feira de Santiago que vejo lá essas pessoas a vender as alcofas, mas como nunca lhes prestei muita atenção, só agora que falas é que me lembrei que antigamente havia muitas mais pessoas a vende-las. Acho que tu só contribuis para que elas não desapareçam. Uma coisa que podias fazer era a historia de cada alcofa numa etiqueta, por exemplo, essas podias contar o que a senhora te contou, mas como se fosse a alcofa a conta-la. Conheces os ursos Forever Friends? As etiquetas deles são desse genero =)
Jinhos e Parabens plas tuas obras de arte =) **

solarsoul disse...

Muito provavelmente estarás a contribuir para que elas não desapareçam e reapareçam com uma linda cara nova

ClaraBeauty disse...

Oi Dina!
Lendo esse seu post achei curioso.
Na minha terra (Fortaleza, Ceará, Brasil), você encontra isso vendendo em beira de estrada facilmente e super barato.
Por exemplo, uma bolsa, dessas de ir à feira custa menos que 10 Reais (algo em torno de 4 dólares).
Engraçado você dizer que está acabando em Portugal, quando aqui no Brasil é tão comum que é pouco valorizado.

Beijos!

Beadinia disse...

Olá a todas

Não se preocupem com a extinção das cestas. Pelo que sei os chineses estão a fabricá-las a pedido de alguns vendedores em Portugal que lhes enviaram as originais para que fossem copiadas. Este verão elas já chegaram a Portugal e já andam por aí. Por isso quando nos disserem que são portuguesas ficaremos sempre com a dúvida.
Parabéns pelos teus trabalhos.