terça-feira, dezembro 06, 2005

Alda (mala)

Mala Alda
Vou pegar numa mala e correr mundo! Foi com este pensamento que Alda acordou no dia em que decidiu abandonar Santana da Carnota. Fez a mala e partiu em busca de um avião que a levasse do país que nada lhe trouxe para além de uma formação católica bastante rígida. Não quer mais dar a catequese aos miúdos, não acredita em nada daquilo que passa os dias a pregar. Está desiludida e descrente. O amor faltou-lhe, a amizade também, quer esquecer, deixar tudo (nada) para trás.
Arranjou-se, pintou os olhos de verde, fez um traço de eyliner bastante ousado, pôs uma flor no cabelo, e voou para o mundo. Ficam-lhe na face as rosetas que não escondem uma origem rural e a gola de bordado inglês que a seu tempo será substituída por um lenço Chanel.

3 comentários:

Pó-de-arroz disse...

Muito bonitas... (a mala e a história).

Marta disse...

Que mala tão original!!!!!
Lá dentro,todos os costumes e bens necessários a um quotidiano cheio de prazer e satisfação!

zarah disse...

Que linda:) obrigada por nos deliciares o olhar e o intelecto;)